Manuais GNV - TRÓIA Gás

Manual Usuário - Comentários

Escrito por Gilson Maia

Avaliação do Usuário: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Índice de Artigos

Ignição

Para compensar a falta de taxa de compressão ideal para o gás (15:1 ou superior) nos motores a gasolina e álcool, os fabricantes de kits oferecem soluções como misturadores mais eficientes, que permitem homogeneizar a entrada do combustível e módulos eletrônicos de variação de avanço, que adiantam mais o momento da centelha em comparação à ECU do veículo. Este módulo, mais conhecido como variador de avanço, é necessário pois existem dificuldades em relação à queima (citado anteriormente) em comparação ao álcool, que por sua a vez é menor que a da gasolina.

Existem várias consequências se a ignição apresentar falhas. Uma comum é o back-fire (explosão no coletor de admissão). A centelha sendo fraca ou sem o devido avanço (tempo) provocará a queima do GNV lentamente e, dependendo da condição de operação (carga e RPM) do motor, ao abrir a válvula de escape e admissão (momento do cruzamento de válvulas ou lavagem dos cilindros) novamente para iniciar um novo ciclo, a queima ainda estará ocorrendo e entrará em contato com o "novo" volume de gás vindo do misturador. O back-fire traz enormes prejuízos, principalmente se o sistema de admissão for de material plástico. A quebra de um dos componentes trará custos altos de reposição das peças (que nem sempre estão disponíveis para pronta entrega nas autopeças e concessionárias).

As velas requerem abertura inferior à solicitada pelo manual de reparação do veículo, algo em torno de 10 a 20% menos (podendo variar de acordo com o modelo). É recomendado também que a troca seja feita antes do prazo exigido, aproximadamente a cada 15.000 km rodados. Hoje temos no mercado velas específicas para esta utilização. A Bosch possui a linha Super Plus e a NGK a linha Green Plug e Platina. Elas foram projetadas para atender aos requisitos de motores GNV. Possuem em sua composição liga de Níquel-Ítrio e eletrodo massa perfilado. Esta construção promove ganhos significativos na operação e rendimento do motor devido a maior condutibilidade elétrica. As arestas vivas presentes no perfil em V do eletrodo massa garantem uma transmissão mais fácil e eficiente da energia da centelha para a mistura de ar e combustível e ainda ajudam a reduzir a demanda de tensão. Já existe também no mercado de reposição cabos de vela produzidos com silicone, com conectores, conexões e vedações dimensionados para esta operação em condições extremas. O isolamento é garantido por muito mais tempo.

Um ponto de ignição errado poderá ocasionar uma temperatura da câmara de combustão diferente da apresentada em motores originais. Pode ser para mais ou para menos e a conseqüência será uma menor vida útil do motor, incluindo cabeçote. As guias de válvulas e válvulas são mais exigidas, visto o gás ser um combustível seco em comparação à gasolina e ao álcool. Os combustíveis líquidos cooperaram na lubrificação destes componentes.

(voltar ao topo)

0
0
0
s2smodern
powered by social2s