Manuais GNV - TRÓIA Gás

Manual Usuário - Comentários

Escrito por Gilson Maia

Avaliação do Usuário: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Índice de Artigos

Cuidados

A pressão de trabalho do sistema GNV varia de 200 a 220 BAR após o abastecimento. Isso significa que há 220 atmosferas prontas para escapar perante o mínimo vazamento. Esta pressão é 20 vezes superior a encontrada no GLP (Gás Liquefeito de Petróleo ou gás de cozinha), por exemplo. É de suma importância que os itens utilizados na instalação e manutenção sejam de primeira qualidade e homologados pelo Inmetro. Por exemplo, um botijão de gás de cozinha utiliza uma técnica de fabricação completamente diferenciada do cilindro de GNV. O cilindro utilizado nos veículos exige que sua construção seja desprovida de soldas e emendas, estas utilizadas no botijão de GLP, o qual nunca deverá ser utilizado em um veículo.

Para a perfeita detecção de vazamentos existem duas maneiras de efetuar o rastreamento da fonte. A primeira e massivamente utilizada pelas oficinas é a espuma com água e detergente. Esta utilização é reconhecida oficialmente perante o Inmetro, demonstrando a eficácia proposta. Para uma detecção mais precisa e livre de "molhadeiras", existe no mercado aparelhos portáteis detectores de vazamentos, conhecidos por: detector remoto de vazamento. Eles utilizam tecnologia laser denominada "espectroscopia por absorção de laser com diodo sintonizável". O formato do aparelho é semelhante a uma pistola e o funcionamento consiste em direcionar o facho de laser nos pontos propícios a apresentar vazamentos, como em niples, união de mangueiras, válvulas, linha de alta pressão, ou seja, em todo o percurso do GNV. Caso haja vazamentos (invisível a olho nu), o laser irá adentrar a "nuvem" e emitir um sinal de retorno, comunicando o aparelho. Em seguida é ouvido um sinal sonoro característico. Inserir imagem "detector remoto" O suporte do cilindro é construído por empresa certificada pelo IPT em aço galvanizado em respeito a norma NBR 11 353. É obrigatório o uso da cinta de borracha entre a alça de fixação e cilindro. Em caso de avarias, colisão ou quebra da solda, é aconselhável a troca completa. Os parafusos de fixação do suporte a carroceria e cintas devem pertencer à classe 8.8 de resistência mecânica (ou superior).

O cilindro mais utilizado é construído em aço especial e a cada 5 anos da data de fabricação, deve passar por um re-teste ou teste hidrostático. No teste (feito em laboratório), é aplicado uma pressão 50% maior em relação à pressão de trabalho, ou seja, 330 BAR de pressão. Caso o cilindro possua alguma tendência a apresentar vazamentos, este será o momento decisivo. Se aprovado o cilindro estará apto a operar por mais 5 anos. O re-teste será necessário novamente após este período. Se reprovado, o cilindro deverá ser destruído. Em comparação ao de cor rosa, o amarelo possui as paredes internas mais finas, porém com a mesma resistência. A espessura da parede varia de 6 a 7mm e o fundo de 25 a 27mm.

(voltar ao topo)

powered by social2s